Cama Compartilhada

Atualizado: 4 de mar. de 2021


"A cama dos pais tem mel.

Há quem diga

que não pode deixar o bebê dormir com os pais,

que vicia, que ele fica mimado ou mal acostumado...

Mas na cama dos pais tem o cheiro do leite da mãe,

o calor e o abraço acolhedor do pai.

Tem segurança, tem carinho, tem chamego.

O berço é importante.

É um lugar só do bebê.

Mas a cama dos pais, de vez em quando

ou quando já está amanhecendo,

traz consolo,

traz à memória o quanto era quente

e aconchegante o útero da mamãe.

Ali ele encontra tudo o que ele precisa pra ficar bem.

Ali ele encontra amor! "


"A cama dos pais", texto da seguidora Isabela Sakaue 💕


A Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que os bebês até 6 meses de idade durmam no quarto dos pais a noite, pois até essa idade eles são muito dependentes e ainda incapazes de se virar sozinhos, o que aumenta o risco de morte súbita. Além disso, estar no mesmo quarto facilita (e muito) nos mamás e chororôs noturnos. Alguns pais vão mais além e, ao invés de só trazer o berço pro quarto, optam por compartilhar a própria cama com o bebê, mas para isso é importante seguir algumas recomendações.


- O indicado é que apenas a mãe fique em contato com o bebê na cama, pois qualquer outra pessoa não possui a mesma consciência instintiva de saber onde o bebê está. Isso parece estranho, eu sei, mas é muito real! Antes eu virava e me mexia MUITO, já até cheguei a acordar do outro lado da cama e a bater nas pessoas que dormiram comigo. Quando o Má (meu noivo Matheus) falou de dormir com a Luna na cama eu fiquei em pânico, achei até que nem ia conseguir dormir, mas a canseira era tanta que eu apaguei. E magicamente eu acordei exatamente na mesma posição em que dormi, e é assim até hoje.


-A cama deve ser encostada à parede, sem espaços, para que o bebê durma entre a mãe e a parede sem risco de cair ou ficar preso.


-A cama deve ser plana, firme e com lençóis que permaneçam bem ajustados. Colchões macios demais ou com texturas fundas, assim como lençóis soltos e cobertores pesados aumentam as chances de ocorrer sufocamento. Por isso nunca tente fazer cama compartilhada no sofá por exemplo.


-Evite colocar roupas em excesso quando não está frio! Lembre-se que você também vai passar um pouco do calor do seu corpo para o bebê, o que pode superaquecê-lo a noite.


-Nunca deixe o bebê sozinho na cama! Os ninhos, almofadas e travesseiros podem até funcionar como uma barreira, mas aumentam o risco de sufocamento.


-Não use joias ou acessórios que podem machucar o bebê, nem roupas com fitas e cordões.


-Se tiver cabelo comprido, prenda. Acredite, vai ser melhor pro bebê e pra você 😅


Mesmo seguindo todas essas recomendações, não é todo mundo que consegue aderir a esse método, então vá aos poucos para descobrir se é ou não a sua praia, com máximo de segurança possível. E se você não conseguir, não se sinta mal ou "uma mãe sem instinto", porque não existe um padrão ou um manual único para a maternidade. O importante é dar o seu melhor e buscar as melhores alternativas para você e o seu bebê :)


Como para a gente isso funcionou muito bem, nós aderimos e amamos a cama compartilhada. É muito mais fácil de acalmar a Luna a noite quando ela tem um pesadelo, ou até pra cuidar de uma dorzinha de barriga. Nós também nos adaptamos muito bem ao mamá na cama, então quando ela quer mamar a noite é só acordar, acomodá-la, dar o peito e é só alegria!


"Ah mas isso tira a intimidade do casal"

Vocês não precisam transar apenas na cama! Há vários cômodos na casa, aproveitem para ser criativos e mudar um pouco a rotina, talvez isso até apimente mais a relação inclusive. LEMBRANDO QUE: não é recomendado que a mamãe tenha relação sexual nos primeiros 40 dias após o parto!


"Dormir na cama dos pais deixa a criança mimada"

Primeiramente, eu odeio essa carga pesada que as pessoas colocam quando dizem que alguém é "mimado", mimar é fazer um carinho, cortar uma frutinha, fazer o seu melhor para deixar seu filho feliz e dar lindos sorrisos, não tem nada a ver com esse comportamento egoísta e chato que a palavra costuma ser associada.. Mas voltando ao foco.. O que vai fazer seu filho ter um comportamento bom ou ruim não é a cama em que ele dorme, mas sim a educação, valores e noções de deveres e consequências que você var dar ou permitir que ele adquira. Ou seja, é um papo bem mais profundo que "cama compartilhada".


E tem alguma contra indicação para essa maravilha toda? Tem sim senhor, como tudo na vida. A cama compartilhada não é indicada caso os pais tenham feito uso de drogas lícitas (como o álcool) ou ilícitas, ou qualquer outra substância que interfira no seu julgamento ou nível de consciência. Existe também um risco aumentado de morte súbita associado á pais que fumam e fazem a cama compartilhada, portanto, é contra indicado nesses casos também.


Depois dos 6 meses é melhor deixar o bebê dormir no próprio quarto, pois nessa faixa etária os bebês ficam mais atentos ao ambiente e tendem a criar rotinas e manias. Ou seja, se o baby se acostumar com o quarto e a presença constante dos pais nessa idade, mais tarde vai sofrer mais com a separação e vai demorar mais para se habituar, tanto com o novo quarto, como com a nova rotina dormindo sozinho.


E vocês? Preferem o bercinho clássico ou pensam em aderir á cama compartilhada?

Conta pra mim 🥰

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo